quarta-feira, 1 de abril de 2015

Conceito de assassinos em série ou Serial killers

                     Noções básicas a considerar

        1 - Conceito de assassinos em série ou Serial killers

São indivíduos que praticam uma série de crimes, com um intervalo de tempo a separar cada um dos homicídios. Quando desses acontecimentos o assassino em série pode muito bem matar várias vítimas ao mesmo tempo.

2 -A inteligência do Serial Killer

Regra geral, é muito inteligente. Segundo estudos mais recentes efetuados pelo FBI, o seu quociente de inteligência anda aproximadamente entre os 110 e 120, podendo vir a ser ainda mais elevado em alguns assassinos. Mas, como afirma o FBI, este teste padrão está longe da verdadeira realidade, pois a capacidade que estes indivíduos têm em manipular os que os rodeiam e os subterfúgios que utilizam, são muitos.

3 - O Perfil do Serial Killer

Com base em estudos efetuados por conceituados médicos na área e baseando-se em alguns casos de crimes em série, é possível encontrarmos algumas particularidades comuns no período da infância desses agentes, tais, como, por exemplo, a presença da enurese em idade avançada, a prática de abuso sádico de animais ou de outras crianças, a destruição da propriedade, a piromania, devaneios diurnos, masturbação compulsiva, isolamento social, mentiras crônicas, rebeldia, pesadelos constantes, roubos, baixa autoestima, acessos de raiva exagerados, problemas relativos ao sono, fobias, propensão a acidentes, dores de cabeça constantes, possessividade destrutiva, problemas alimentares, convulsões, automutilações e o isolamento familiar e social.

4 - Características da Personalidade Psicopática

* Encantamento superficial e manipulação, como meio de sobrevivência pessoal;
* Mentiras sistemáticas e comportamento fantasioso;
* Ausência de sentimentos afetuosos;
* Amoralidade;
* Impulsividade;
* Incorrigibilidade;

5 - Classificação dos diferentes tipos de Serial killers

Mass Murder - (assassinos em massa) – De entre a quatro ou mais vítimas num mesmo local quando de um único acontecimento.
Spree Killer – Assassínios em locais diferentes num lapso de tempo muito curto. Esses crimes provêm de um acontecimento único e o seu encadeamento pode estender-se por um determinado período de tempo.

6 - Classificação dos diferentes tipos de Psicopatas

Psicopatas Amorais – Indivíduos insensíveis, arrogantes, antissociais ou perversos, destituídos de compaixão, de vergonha, de sentimentos de honra e conceitos éticos, que não sentem simpatia pelas pessoas do seu grupo social e que praticam condutas lesivas ao bem-estar e à ordem estabelecida. Sendo inútil qualquer tipo de recuperação a estes indivíduos.
Psicopatas Astênicos – Inserem-se em três grupos:
* Os sensitivos e assustadiços;
* Insatisfeitos;
* Perturbações das funções orgânicas;
Psicopatas Explosivos – Indivíduos irritáveis e coléricos, de que se costuma dizer que fervem em água fria. Frequentemente cometem delitos de sangue imotivados ou insuficientes motivados, agressões pessoais, resistência às autoridades e maus-tratos aos animais.
Psicopatas Fanáticos – Indivíduos que se caracterizam pela extrema importância que concedem a certas constelações idealistas, sejam relacionados com a própria personalidade, sejam ligadas a determinados sistemas religiosos, filosóficos ou políticos.
Psicopatas Hipertímicos – Caracterizam-se pelo senso de humor. Conseguem conviver amigavelmente com as pessoas, mas subitamente explodem em fúria desproporcionada.
Psicopatas Inadaptáveis – Indivíduos que apesar de uma educação razoável e de inteligência normal, são inseguros e falham no seu ajustamento social, profissional e econômico. Quando parece que o seu esforço vai ser recompensado, não têm perseverança para chegar a um resultado útil, pois são pessoas imediatistas.
Psicopatas Inseguros – Indivíduos marcados pela falta de confiança em si mesma e pela sensação de insuficiência que os domina. São pessoas honestas, escrupulosas e de caráter impoluto.
Psicopatas Ostentativos – Indivíduos mentirosos mórbidos, afáveis, solícitos, inteligentes, simpáticos, instáveis, defraudadores, vaidosos, excêntricos, que procuram aparentar mais do que aquilo que na realidade são e que, quando descobertos na sua delinquência, costumam alegar amnésia ou ignorância.
Psicopatas Sexuais – Indivíduos que possuem perversões ou aberrações sexuais primitivas, caracterizadas tanto pela intensidade do instinto como pelo desvio deste em natureza e finalidade. Entre os desvios sexuais encontram-se o onanismo, o narcisismo, o exibicionismo, a tealagnia (volúpia de ver), o feticismo, a frigidez sexual, a necrofilia, o sadismo, o masoquismo e o homossexualismo.
Psicopatas Toxicofílicos – Os toxicômanos exibem sinais de distúrbios de conduta e de caráter que os levam à prática reincidente de prevaricações ou de delitos.
Psicopatas com Reatividade Múltipla – Indivíduos em que os caracteres anormais exibem várias formas de reação psicótica, de tal sorte que não é possível enquadrá-los em nenhum dos tipos descritos anteriormente.


Viaturas blindadas

Keiko Ota ressalta que é dever do Estado proteger os profissionais da área de segurança.
A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei 8146/14, da deputada Keiko Ota (PSB-SP), que determina que todas as viaturas dos órgãos de segurança pública sejam blindadas.
Pelo texto, as que já estiverem em operação serão adaptadas para instalação da blindagem balística. A parlamentar destaca que os integrantes dos órgãos de segurança pública no cumprimento de suas atribuições funcionais estão submetidos a diversos riscos. “O mesmo Estado que dá essas atribuições e faz com que esses profissionais corram o risco de serem mortos ou lesionados é o que tem o dever de protegê-los contra toda sorte de agressões e atentados”, afirma Ota.
Segundo a Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin), as partes dos carros que são blindadas são: teto, vidros, colunas, atrás do banco traseiro (porta-objetos), caixas de rodas, portas, proteção entre o painel e o motor, maçanetas, por trás dos espelhos retrovisores e tanque de combustível.
Fonte - agenciacamara


  

segunda-feira, 30 de março de 2015

MENTIRA TEM PERNAS CURTAS

O Servidor Adielton publicou indevidamente a foto do Presidente eleito do SINDASP-PE em redes sociais com o argumento que tinha marcado uma reunião com o Presidente na última quarta-feira (25 de março de 2015).
O Inacreditável que todo o momento no texto publicado no Aspssauros e nas redes sociais, fala de compromisso e de moralidade.
Primeiramente, qual a moralidade esta pessoa pode ter tirando uma foto de uma pessoa, sem sua prévia autorização, e pior que o mesmo está errado quanto ao dia que o servidor Adielton afirma ter marcado.
O Texto abaixo irá demonstrar que no print screen tirado, que na conversa realizada na última segunda-feira dia 23/03/2015, relata claramente que a reunião estaria marcada para a semana dia 01/04/2015, ou seja, na conversa da última segunda-feira foi marcado para a semana que vem (01/04/2015), e não dia 25/03/2015.
Se na conversa do dia 23/03/2015, a reunião foi marcada para a semana que vem, só pode ser dia 01/04/2015.
Muito espanta, o mesmo ser formado e não saber a diferença de datas.
O intuito deste servidor demonstra querer perturbar, e vem continuamente denegrir a imagem com ofensas ao Presidente. Ainda assim, o Presidente iria sentar nesta quarta-feira (01/04/2015) e participar de tal reunião. Porém, diante de tal procedimento feito por este servidor, não se reunirá com o mesmo para debater qualquer assunto que seja.
Relatando sobre o fato de falta de compromisso, o Sindicato informa que na última semana ocorreram vários encontros entre o Presidente eleito do sindicato com várias empresas para firmar convênios e por isso não poderia ter reunião para debater o assunto que aquele servidor queria.
A Falta de compromisso que ele relata é uma piada, pois o Diretor Carvalho vem se reunindo continuamente com deputados, governo e empresas para o melhor para categoria.
Esta semana irão ocorrer algumas divulgações, demonstrando o trabalho realizado.
E quanto ao futuro, a atual gestão irá mostrar que adielton e os politiqueiros de plantão estão errados e que aprendam a perder, pois o que a categoria precisa é de união.
O Mesmo foi informado, e por coincidência no momento de intervalo entre um agendamento de reunião com uma empresa e a outra que iria chegar, inesperadamente o servidor Adielton invade a sala e tira a foto, relatando que tinha sido marcado a reunião para aquele horário.

Abaixo está a foto e veja atentamente a conversa.


domingo, 29 de março de 2015

FALTA DE COMPROMISSO!


Pois é caros companheiros! Nosso futuro enquanto categoria, se encontra à beira do vale da morte, ou mesmo de um suicídio induzido por quem deveria cuidar e zelar por nós! Os dados foram jogados e estamos ansiosos como um jogador que apostou tudo na sua última jogada apelando para os números mágicos saírem! Ledo engano! Acaso não sabemos que jogo de dado é chamado de “jogo de azar”?
Não se iludam companheiros! Veja quem está com nosso futuro na mão e se quiser apostar o azar é seu! Não! O azar é meu, seu e de todos que foram prejudicados em larga escala pela gestão atual a qual renovará seu votos de inércia sindical por mais 3 longos anos!
Na verdade, já é cediço entre todos nós, de não esperar muito dessa velha-nova gestão que está por vir. Afinal, a incompetência é uma das suas marcas registradas no que tange negociação de reivindicações. Temos exemplos gritantes. Cito alguns, enquadramento dos sobrestados, o PCCV, a decisão do STF que não é cumprida e por aí afora. Mas há ainda mais duas preocupações que me deixa "aperriado". A questão da síntese de atribuições da nossa categoria, estas se quer foram divulgadas pela gestão atual a qual também, sequer sentou para construir propostas e/ou formular um projeto de propostas com a base da categoria. A outra tão preocupante quanto à primeira, Estatuto Penitenciário do Estado. Esse último gerou uma situação no mínimo curiosa e hilária entre esse "agitador" que vos digita e o então vice-presidente "eterno interino" e futuro presidente do SINDASP,o senhor João Carvalho.
Pois bem, um resumo do fato. No grupo de whatsapp intitulado ASP PCPE LIVRE, foi marcada uma reunião, esta tendo várias testemunhas do grupo, com o supracitado senhor mestre dos magos, conhecido assim dentro do grupo, para uma reunião entre alguns que se propuseram sentar, conversar e debater um projeto de Estatuto Penitenciário que abrangesse nossos anseios, que retratassem nossa realidade nos buques prisionais. Ao me dirigir para o sindicato, liguei informando que chegaria atrasado, porém estava à caminho. Para minha surpresa a secretária me disse que "não estava na agenda nenhuma reunião com Carvalho", todavia, iria ligar para o mesmo, tendo em vista que não se encontrava no SINDASP. Nesse ínterim, me desloquei a SERES para resolver uma questão pessoal, mas sem esquecer do compromisso. Dirigi-me para o 8º andar do Círculo Católico e toquei a campainha, a demora pra atender me causou estranheza, pois sempre que vou lá basta um simples toque que a porta abria. Nesse dia demorou. Como sou muito curioso, olhei pelas frestas da porta e vi senhor Carvalho juntamente com Joaquim e Márcia, se levantarem de súbito,como se tivesse dado uma dor de barriga coletiva e os cochichos que não dava para se escutar, como guinchos de rato que é bem baixinho para se ouvir. Daí mais uma vez toquei a campainha e persistia a demora, teimoso que sou, toquei a terceira vez e foi quando abriu "as portas da esperança". Perguntando pelo senhor Carvalho, na lata Sra. Márcia me respondeu que não estava! Claro que isso me deixou nervoso porque havia marcado compromisso com o dito vice-presidente do SINDASP. Mas, desconfiado que sou, como bom Agente Penitenciário, driblei a Sra. Márcia e adentrei na sala que fica no fundo do corredor e quem encontrei lá? Tcharam!ram, ram, ram! O senhor Carvalho! Isso mesmo! Ao telefone e com ele seu fiel escudeiro Joaquim, lendo um jornal bem despreocupante na cadeira acolchoada. Bati uma foto. Pronto! Começou a bater a gaguejaria nervosa no Senhor Carvalho que lhe é peculiar e que todos conhecemos. Perguntei o porquê com aquela falta de respeito e compromisso comigo e com a categoria. Daí em diante só mesmo o closed caption para entender o que ele falava! Fora que tomei um banho de saliva desgraçado, mas parecia um Judas no sábado de aleluia! Dei as costas, escorregando nas gotas de saliva que provinha do mesmo, sem antes também, de dizer algumas verdades.
Então, o que esperar dessa nova diretoria do SINDASP? Eu sei! O continuísmo de uma política de peleguismo, de derrotas, de desmoralização por parte do Secretário nos chamar de bandido, o descumprimento das deliberações das nossas assembleias que vão de encontro aos interesses do governo. Companheiros, se vocês acreditam que já passamos tudo de ruim nesses últimos 3 anos, ainda não viram nada! Dia 31 será marcado como a data do começo do nosso fim! Triste, lamentável, mas a realidade nos bate à porta e nem adianta tocar a campainha que o PRESIDENTE NÃO VAI TÁ LÁ!

Por - Adielton

sexta-feira, 27 de março de 2015

Senado: Lei contra terrorismo

O Senado deve votar nos próximos dias Projeto de Lei do Senado (PLS) 499/2013, que define o crime de terrorismo. A proposta, batizada de Lei Antiterrorismo, foi elaborada pela Comissão Mista de Consolidação das Leis e Regulamentação da Constituição e apresentada no Congresso Nacional em novembro de 2013.
A Lei Antiterrorismo tipifica como terrorismo o ato de provocar ou infundir terror ou pânico generalizado mediante ofensa ou tentativa de ofensa à vida, à integridade física, à saúde ou à privação da liberdade de pessoa. O novo crime terá pena de 15 a 30 anos de reclusão, e de 24 a 30 anos se a ação terrorista resultar em morte.
O crime será inafiançável e insuscetível de graça, anistia ou indulto. O condenado por terrorismo só terá direito ao regime de progressão após o cumprimento de quatro quintos (4/5) do total da pena em regime fechado.
Atualmente, o terrorismo está inserido na Lei de Crimes Hediondos (Lei 8.072/1990), que o rege em vários aspectos, explicitamente reconhecidos na proposta em tramitação no Senado.
Fonte-alagoas


sábado, 21 de março de 2015

Presídio de Igarassu: vistoria apreende armas, celulares e drogas

Vistoria realizada no Presídio de Igarassu, no Grande Recife, nesta sexta (20), encontrou armas, celulares de drogas. A inspeção foi feita foi coordenada pela Superintendência de Segurança Penitenciária e contou com a participação de agentes penitenciários, Grupo de Operações de Segurança da Seres (GOS), e o apoio de Companhia Independente de Operações Especiais (Cioe) e do efetivo do Batalhão de Guardas da Policia Militar.
Ao todo, foram recolhidos 197 celulares, 110 carregadores, 50 fones de ouvido, 51 baterias, 26 chips, dois cartões de memória e 16 pendrives. Também foram pegos seis facões industrializados, 20 facas industrializadas e 18 chuços (facas artesanais), além de 1.210 litros de gengibirra, seis usinas de cachaça, mais de 3 kg de maconha e 32 gramas de ácido bórico.


Ainda conforme a Secretaria de Executiva de Ressocialização (Seres), vinte detentos que estavam na cela onde a droga foi encontrada foram conduzidos a uma delegacia.
Fonte-globo.com

quinta-feira, 19 de março de 2015

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO ANTECIPOU REUNIÃO DA MESA ESPECÍFICA COM O SINDASP PARA O DIA 22 DE ABRIL DE 2015

O Governo do Estado encaminhou cronograma de reuniões em mesa específica. A pedido do SINDASP-PE a Secretaria de Administração antecipou a reunião do dia 29/04/2015 para o dia 22/04/2015. Nesta reunião será debatida a pauta encaminhada pelo Sindicato.
Informamos que o SINDASP-PE encaminhou a pauta de negociação salarial, desde o mês de fevereiro, que engloba vários tópicos, como:

 1- Acabar com as distorções nas classes e faixas para os agentes que estão ou saíram do estágio probatório, bem como os servidores que estão com mais de 20 (vinte) anos de serviço. Esta negociação é para enquadrar o servidor no seu tempo real;

2- Reajuste no percentual da gratificação de risco de 100% para 225% como está na pauta da polícia civil;

3- Lutar para inclusão do mesmo vencimento inicial da polícia civil e da gratificação do percentual de 30% previsto no art. 6º da Lei nº 10.865/93;

 4- Revisão do PCCV com alteração nos interstícios da faixa de 2% para 3%, o da classe de 4% para 7% e dos níveis de 6% para 10%;

 5- Buscar o mesmo reajuste anual igual dos operadores de segurança pública;

 6- Criação da Lei de Aposentadoria Especial de 25 anos;

7- Vale refeição - Mesmo tratamento aos operadores de Segurança Pública.

            Fonte-sindasp

PEC do sistema penitenciário é aprovada

É uma honra poder contribuir com você  amigo, pois quando um pedido deste parte de uma GRANDE LIDERANÇA feito você,  podemos avançar tanto na esfera Nacional e Federal.
Fale com o companheiro Vilobaldo do Piaui, pois também é uma figura importante no cenário nacional e ele tbm se interessou por nossa PEC e eu já mandei a Ele.
A ideia é que os Estados proponham PEC´S no modelo que acharem necessário, mas dentro da SEGURANÇA PUBLICA, para forçarmos nossa PEC NACIONAL 308.
Alagoas e maranhão,  respectivamente na pessoa do Jarbas e Liana haviam me pedido E OUTROS ESTADOS JÁ NOS PEDIRAM.
Trabalhe isto  você tem este poder de esclarecer...precismos nos fortalecer nas bases para termos jurisprudência na luta nacional, PEC 308/04  ai depois se for o caso nos adequamos com a federal, porem se fizermos no campo ESTAREMOS  NOS BLINDANDO DOS FORASTEIROS QUE ESTÃO NO SISTEMA PRISIONAL...DETALHE JÁ ESTAMOS NA SEGURANÇA PUBLICA. 
UM ABÇ CARLOS AGEPEN AMAPA!
ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO AMAPÁ PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº _____/14 Autor: __________________________                                              
 Altera o art. 75 e 76 da Constituição do Estado do Amapá, para acrescentar o inciso V no art. 75, e o parágrafo 6º no art. 76, criando à Superintendência de Execução Penal (SUAP) no âmbito do Estado do Amapá.
 A MESA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO AMAPÁ, nos termos do § 3º, do Art. 104, da Constituição do Estado, promulga a seguinte Emenda ao texto da Constituição do Estado.
Art. 1.º Acrescentem-se ao art.75 o inciso V e o parágrafo 6º no art.76, com a seguinte redação:
“Art. 75”. A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos, subordinados ao Governador do Estado:
I - Polícia Civil;
II - Polícia Militar;
 III - Corpo de Bombeiros Militar;
 IV - Polícia Técnico-Científica;
 V – Superintendência de Administração Penitenciária do Estado do Amapá – SUAP.
 ................. Art. 2.º Acrescente-se ao art. 76 o §6º com a seguinte redação: “Art.76 a lei disciplinara a organização e funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança publica, de maneira a garantir a eficiência de suas atividades definindo suas competências, estruturando suas carreiras e fixando direitos, deveres vantagens e regime de trabalho de seus integrantes.”
 § 1.º
 § 2.º
 § 3.º
 § 4.º
§ 5.º
 § 6º A Superintendência de Administração Penitenciária do Estado do Amapá – SUAP, órgão permanente, assegurada autonomia administrativa, atividade exclusiva de estado, essencial à função jurisdicional, dirigida por Agente ou Educador de Execução Penal de carreira, conforme os requisitos a que se refere o art. 75 da Lei 7.210, de 11 de julho de 1984, destina-se, além das atribuições definidas em lei, à custódia dos apenados pela justiça do Estado do Amapá, à segurança interna e externa das unidades penais, à escolta penal, a recaptura de foragidos das unidades penais, ao serviço de inteligência penal, à intervenção em conflitos nas unidades penais, à fiscalização do cumprimento das penas alternativas e condicionais, à ressocialização do apenado e às medidas de reinserção social ao egresso.”
 Art. 3.º O Governo do Estado terá o prazo de um ano para adequar a legislação aos termos desta emenda constitucional.
 Art. 4.º Esta Emenda Constitucional entra em vigor na data de sua publicação.   
                                     JUSTIFICAÇÃO
Nossa iniciativa propõe a alteração do texto da constituição do Estado do Amapá para criar a instituição destinada a assumir os encargos da execução penal, concretizando um novo marco no sistema penal do Estado do Amapá.
 O sistema de execução penal amapaense carece de mudança, a qual passa pela criação de uma instituição constitucionalizada que vise ao fim específico da execução penal. O sistema penal terá a partir da criação da Superintendência de Administração Penal do Estado do Amapá – SUAP, um novo enfoque quanto à administração do sistema penal, com o compromisso de preservar a ordem pública e a ressocialização dentro das unidades penais, promovendo a reinserção do apenado à sociedade no âmbito da execução penal estadual,
A pretensão contribui, significativamente, para o aperfeiçoamento do sistema de segurança pública ora vigente no estado, uma vez que libera definitivamente os integrantes das polícias civis e militares dos encargos típicos da execução penal. Sabemos que uma parcela vultosa dos efetivos dessas polícias está mobilizada para esse fim, tendo suas funções precípuas prejudicadas.
Entendemos que tais encargos são extremamente prejudiciais para a eficácia do sistema de segurança pública como um todo, já que os policiais que deveriam prover a segurança da população – em atividades de policiamento ostensivo ou na apuração das infrações penais cometidas – ficam imobilizados com a custódia de presos.
Na certeza, portanto, de que a nossa proposição se constitui em aperfeiçoamento oportuno e conveniente para o texto constitucional vigente, esperamos poder contar com o valioso apoio dos nobres deputados em favor de sua aprovação nesta Casa.   
 Macapá - AP, 02 de Julho de 2014.   
MARILIA GÓES
Deputada Estadual- PD


Fonte-agepen


quarta-feira, 18 de março de 2015

Agentes Penitenciários aprovados em concurso fazem protesto no Palácio


Cerca de 50 aprovados no concurso para Agente Penitenciário protestaram, nesta terça-feira (17), em frente ao Palácio do Governo, no Centro do Recife. Com faixas, apitos e narizes de palhaço, os manifestantes reivindicaram a entrada de profissionais no sistema prisional do estado. Segundo os concursados, 360 pessoas foram aprovadas no certame de 2009, mas apenas 126 foram convocados para o trabalho.
"Fizemos todos os exames e passamos por toda a burocracia de entrada, só ficou faltando o curso de formação", afirma Fábio Tavares, concursado que ainda não ingressou no posto de Agente. "Alguns de nós chegaram a deixar os empregos acreditando que o estado iria chamar", reclamam os manifestantes.
Segundo o representante do Sindicato dos Agentes e Servidores no Sistema Penitenciário do Estado de Pernambuco (Sindasp-PE), João Batista Carvalho, há quase 150 pessoas aptas a exercer o cargo de Agente Penitenciário, mas que ainda não assumiram o posto.
"O estado tem um déficit de 4,7 mil Agentes e declarou estado de emergência no sistema penitenciário. Além disso, todo dia encontram armas brancas, drogas e celulares nos presídios. Estamos aqui para reivindicar a entrada desses profissionais", alega Carvalho. Os manifestantes ainda prometeram realizar outros atos públicos pacíficos na próxima semana.
Por meio de nota oficial, a Secretaria de Administração de Pernambuco (SAD), responsável pela contratação de novos profissionais no estado, afirmou que 500 vagas foram ofertadas no certame de novembro de 2009. Depois do curso de formação e da homologação do concurso, foram nomeados 1,2 mil candidatos. A SAD ainda informou que, em razão da Lei de Responsabilidade Fiscal, não estão previstas contratações de novos servidores.

Fonte-dp

segunda-feira, 16 de março de 2015

Você confia em Deus? Mas quanto você confia em Deus?





A confiança é uma firme esperança

Com a concisão que traz o cunho de seu gênio, definia São Tomás a confiança: “Uma esperança fortalecida por sólida convicção”. Palavra profunda que não faremos senão comentar nesta primeira parte.
Pensemos atentamente os termos que emprega o Doutor Angélico: “A confiança, diz ele, é uma esperança”. Não uma esperança ordinária, comum a todos os fieis; no qualificativo preciso a distingue: é “uma esperança fortalecida”. Notai bem, no entanto: não há diferença de natureza, mas somente de grau de intensidade.
Os albores incertos da aurora, tal como o esplendor do sol no zênite, fazem parte do mesmo dia… Assim a confiança e a esperança pertencem à mesma virtude: uma é, apenas, o desabrochar completo da outra.
A esperança comum perde-se pelo desespero; pode tolerar, no entanto, certa inquietação…
Quando, porém, atinge esta perfeição que faz trocar seu nome pelo nome de “Confiança”, torna-se-lhe, então, mais delicada a susceptibilidade. Não suporta mais a hesitação, por leve que se imagine. A menor duvida a rebaixaria e a faria voltar ao nível da simples esperança.
O Profeta Real escolhia exatamente as expressões quando chamava a confiança: “uma superesperança”. Trata-se realmente aqui de uma virtude levada ao máximo de intensidade.
E o Padre Saint-Jure, autor espiritual dos mais estimados do século XVII, via justamente nela uma esperança “extraordinária e heroica”.

Não é, pois, a confiança flor banal. Cresce nos cumes, e não se deixa colher senão pelos generosos.
Ela é fortalecida pela fé
- Levemos mais longe este estudo.
Que força soberana fortifica a esperança a ponto de torná-la inabalável aos assaltos da adversidade?… A fé!
A alma confiante guarda na memória as promessas do Pai celeste; mediata-as profundamente. Sabe que Deus não pode faltar à palavra, e daí a sua imperturbável certeza.
Se o perigo a ameaça, a envolve, a domina mesmo, ela conserva sempre a serenidade. Apesar da iminência do risco, repete a palavra do Salmista: “O Senhor é minha luz e a minha salvação… que posso recear? O Senhor protege a minha vida… Quem me fará tremer…?”.
Existem entre a fé e a confiança relações estreitas, laços íntimos de parentesco. Empregando a expressão de um teólogo moderno, deve-se achar na fé: “a causa e a raiz” da confiança.
Ora, quanto mais se afunda a raiz na terra, mais seiva nutriente dela tira; mais vigorosa crescerá a haste; mais opulenta será a floração. Assim, a nossa confiança desenvolve-se na medida em que se aprofunda em nós a fé.
Os Livros Santos reconhecem a relação que une essas duas virtudes. Não são designadas pelo mesmo vocábulo “fides”, uma e outra, sob a pena dos escritores sagrados?
A confiança é inabalável
As considerações precedentes terão parecido, talvez, por demais abstratas. Era necessário, no entanto, que nelas nos firmássemos: delas deduziremos as qualidades da verdadeira confiança.
A confiança, escreve o Padre Saint-Jure, é “firme, estável e constante em grau tão eminente, que nada no mundo pode, já não digo derrubá-la, mas abalá-la sequer”.
Imaginai as extremidades mais angustiosas de ordem temporal, as dificuldades insuperáveis, em aparência, de ordem espiritual: nada disso alterará a paz da alma confiante…
Catástrofes imprevistas poderão amontoar em torno delas as ruínas da sua felicidade; essa alma, mais senhora de si que o sábio antigo, continuará calma: “Impavidum ferient ruinae”.
Voltar-se-á simplesmente para Nosso Senhor; n’Ele se apoiará com certeza tanto maior quanto mais privada se sente de auxílio humano. Rezará com ardor mais vibrante, e, nas trevas da provação, prosseguirá o seu caminho, esperando em silêncio a hora de Deus.
Uma confiança assim é rara, sem dúvida; mas se não atinge esse mínimo de perfeição, não merece, então, o nome de confiança.
De resto, encontram-se exemplos sublimes dessa virtude nas Escrituras e na vida dos Santos. Ferido na fortuna, na família e na própria carne, Jó reduzido à última indigência, jazia no seu monturo. Os amigos, sua mulher mesmo, aumentavam-lhe a dor pela crueldade das suas palavras.
Ele, no entanto, não se deixava abater; nenhuma murmuração se mesclava aos seus gemidos. Sustentavam-no os pensamentos da fé. “Quando mesmo o Senhor me tirasse a vida, dizia, ainda assim esperaria n’Ele!”.
Confiança admirável e que Deus recompensou magnificamente. A provação cessou: Jó recuperou a saúde, ganhou de novo fortuna considerável, e teve uma existência mais próspera do que antes.
Numa das suas viagens, São Martinho caiu nas mãos de salteadores. Os bandidos os despojaram; iam trucidá-lo, quando, de repente, tocados pela graça do arrependimento ou levados por um pavor misterioso, o libertaram e o soltaram, contra toda a expectativa.
Perguntou-se mais tarde ao ilustre Bispo se, nesse risco premente, não teria sentido algum medo. “Nenhum, respondeu, eu sabia que a intervenção divina era tanto mais certa quanto mais improváveis os socorros humanos”.
A maioria dos cristãos não imita, infelizmente, exemplos destes.  Nunca se aproximam tão pouco de Deus como no tempo da provação.
Muitos não dão esse grito de socorro que Deus espera para lhes vir em auxílio. Funesta negligência! – “A Providência, dizia Luís de Granada, quer dar solução, ela mesma, às dificuldades extraordinárias da vida, quanto que deixa às causas segundas o cuidado de resolver as dificuldades ordinárias”.
Mas é preciso reclamar o auxílio divino. Essa ajuda, Deus no-la dá com prazer. “Longe de ser incômoda à alma de quem suga o leite, a criança, pelo contrário, lhe traz alívio”.
Outros cristãos, nas horas difíceis, rezam com fervor, mas sem constância. Se não são atendidos logo, logo, caem de uma esperança exaltada num abatimento desarrazoado. Não conhecem os caminhos da graça.
Deus nos trata como crianças: faz-Se de surdo às vezes, pelo prazer que sente ao ouvir-nos invocá-Lo… Por que desanimar tão depressa, quando conviria ao contrário, rogar com maior insistência…?
É esta a doutrina ensinada por São Francisco de Sales: “A Providência só adia o seu socorro para provocar a nossa confiança”.
“Se nosso Pai celeste não concede sempre o que pedimos, é para nos reter a seus pés e nos dar ocasião de insistir com amorosa violência junto d’Ele, como claramente mostrou aos dois discípulos de Emaús, com os quais só Se deteve ao fim do dia, e assim mesmo por eles forçado.”